Brasília 12 Ateliês: exposição resgata o movimento das artes plásticas no DF

NoveloNa mostra, doze artistas plásticos resgatam importantes referências e tradições da arte em Brasília.

 

Fechando os festejos dos 55 anos de fundação de Brasília, uma exposição pretende resgatar a história das artes plásticas na Capital Federal e seus protagonistas. Brasília 12 Ateliês, com curadoria da artista plástica Lêda Watson e do professor e artista visual Newton Scheufler, foi concebida, como o nome já antecipa, a partir de visitas feitas a doze ateliês de Brasília.

Luiz CostaLeda relembra que nos anos de 1970, quando aqui chegou, os artistas já produziam intensamente arte na cidade. “Era um grupo muito atuante. Se respirava artes plásticas nas exposições e salões de arte que se sucediam e nas galerias e associações que eram criadas”.

“Os artistas mais experientes recebiam em seus ateliês aqueles que desejavam aprender ou aprimorar seus conhecimentos de arte. Por mais de trinta anos, tive a oportunidade de transmitir meus conhecimentos das técnicas da gravura em metal que aprendi na França e consegui, em todos esses anos, ter recebido mais de 400 alunos em meu ateliê” – diz a mestre da gravura em metal.

Leia também:

Milton Ribeiro

Pequeno arquiteto com circo nº 2 de Milton Ribeiro

Brasília 12 Ateliês vem com a proposta de revitalizar a memória artística da cidade, que segundo ela está se perdendo, assim como os personagens que dela participaram, seja por falta de registro, seja por falta de conhecimento.

“Não podemos esquecer que tudo que hoje se cria e que se produz, é resultado e consequência inequívoca do que já foi feito e vivenciado anteriormente – o passado constrói e possibilita ao presente dar continuidade a essas ações. A nossa cidade cresce e se aprimora apoiada no trabalho e nas experiências de seus cidadãos que para cá vieram construí-la ao longo desses 50 anos” – ressalta Leda.

Musa Dualidade

Musa Dualidade – Alumínio Patinado, de Ricardo Stumm.

A escolha dos artistas que participarão da exposição privilegia aqueles que se notabilizaram pela qualidade do seu trabalho ao longo de décadas. Os doze artistas escolhidos por sua trajetória no tempo tem em comum a ligação afetiva com a cidade, a variedade técnica e o fato de, até hoje, manterem seus ateliês em atividade, transmitindo às novas gerações os seus conhecimentos, criando, ensinando e deixando sua marca e experiências de vida acessível a todos. É um resgate na área de artes plásticas imprescindível para todos que se aventuram por esses caminhos coloridos e fantásticos.

BetiolDesta forma, foram contemplados os artistas e ateliês foram os seguintes: Betty Bettiol, Darlan Rosa, Glênio Bianchetti – in memorian, Lêda Watson, Lelo, Luiz Costa, Marlene Godoy, Milan Dusek, Milton Ribeiro – in memorian, Omar Franco, Ricardo Stumm e Toninho de Souza

O projeto deverá render ainda a edição de um catálogo e a exposição deverá se transformar em itinerante.

Para conhecer mais sobre a arte de Milan Dusek, um dos gravuristas expositores da Brasília 12 ateliês, veja o vídeo abaixo.

 

SERVIÇO:

Exposição: Brasília 12 Ateliês
Visitação: 25 de novembro a 17 de janeiro
Horário: de terça-feira a domingo, das 9h às 19h
Local: Caixa Cultura Brasília (SBS, Quadra 4, Lotes 3/4 – Asa Sul, Brasília-DF)
Acesso para pessoas com necessidades especiais.
Entrada: franca

 

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Artes Plásticas, Brasília - DF, Cultura, Distrito Federal. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Brasília 12 Ateliês: exposição resgata o movimento das artes plásticas no DF

  1. toninho de souza disse:

    Este projeto foi uma semente da Memória da Capital Brasileira nas Artes Visuais. Daqui a cem anos quem sobreviverá a esta plantação realizada em um terreno árido do descaso com as artes visuais pelo poder publico de nosso país. No momento, o que se salva é o CCBB e Centro Cultural da Caixa Econômica Federal, porque no DF tem mais de 12 espaços de artes visuais fechados para os artistas locais.

    Curtir

  2. Pingback: Brasília perde o gravurista Milan Dusek | Brasília, por Chico Sant'Anna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s