Kit surf Barra Grande - Piaui (84)Por Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

                Venturis ventis
[Aos ventos que hão de vir — Divisa do Distrito Federal]

 

 

Agora, que embalam ventos,

Ingresso também no deleite.

Todo molde ao devaneio

Mas, no direito de sonhar.

 

Quero, sim, o vento puro,

Não o vento-mercadoria.

Quero o vento e os ventres

Livres, sem códigos de barra.

 

Quero o vento das marés

E até podem exportá-lo,

Mas para os mares da Lua,

De ondas tão rarefeitas.

 

Quero moinhos quixotes,

Movidos a pás de vento,

Mas, quero é vento nas ventas

De pássaros e pipas no ar.

 

Nosso Drummond, uma vez,

No tempo do bem declarado,

Foi fazendeiro do ar,

Nas brisas de bem amado.

 

Sem vento, sequer há vida,

Suspiros de bem querer.

Haja vista a tanto vento,

Mas, de dar; não de vender.

 

Se for o caso de engano,

Me tirem o cisco do olho,

Com um sopro bem aplicado,

Mas, comprar vento, negado.

 

Carece mais é cuidado,

Dádiva de Deus para todos

Que vivem de respirar

O ar que já veio dado.

Anúncios