3) Lençóis - MA dez 2013 (78)Poema de Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

 

 

I

Quero estar no deserto,

Mas, por certo, passaporte

Para além de Marrakesh.

II

Quero ir ao fundo,

Mas, certeza, escafandro.

Sem malandro, o mar profundo.

III

Quero estada e estadia,

Katmandu algum dia,

Mas, tremores me acordam.

IV

Quero sonho de ave una,

Mas, impossível aeronave,

Sem a dor dos motores.

V

Quero, mergulhar, Bonito;

Flutuar fundura, cardumes, mas

E, agora, mosquitos?

VI

Nem é minha a vida,

Mas, pesadelos são sombras

De pessoas amadas.

VII

Arrimo, arrumo rimas.

Mas, que cochilo me escora

Tranquilo numa perna só?

VIII

Fantasia, perdido em Marte,

Mas, se estou em toda parte,

O que há de errado em dormir?

IX

Chega a hora de acordar

De acordeom a Vespúcio,

Eis, de vez, América e Amazônia.

X

Alguém sabe de insônia,

Brincadeira, esconde-esconde,

Carneirinhos de nós mesmos?

Anúncios