Poema de Fim de Semana: Enquanto isto

20160402_135310Por Luiz Martins da Silva

 

 

Nas ruas, alaridos.

Visões aéreas revelam

Dois lados de maniqueus,

Narcisos coloridos.

 

 

Eles se odeiam e se atrelam.

Queda de braço, antiamores.

Girassóis de louvores

Em nome de um país.

 

 

Outrora, eram os pais,

Nas praças e avenidas.

Dobrada a esquina, o futuro

Há pouco, de cara pintada.

 

 

Antes, era o fora o Mal.

Hoje, um é o outro e tudo é dual.

Há espelhos para ambos

No abismo do fim da estrada.

 

 

O duelo vai terminar.

Anunciado o oitavo round.

Os juízes já estão no templo.

O povo será crucificado.

 

 

Aturdido, sem nada entender,

(O que quer a multidão?)

Um homem simples, corado

Não sabe como pedir.

 

 

Eu o vi, desempregado,

À porta da padaria,

Olhar acabrunhado.

Em casa, uma família

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s