Poema de Fim de Semana: Enquanto isto

20160402_135310Por Luiz Martins da Silva

 

 

Nas ruas, alaridos.

Visões aéreas revelam

Dois lados de maniqueus,

Narcisos coloridos.

 

 

Eles se odeiam e se atrelam.

Queda de braço, antiamores.

Girassóis de louvores

Em nome de um país.

 

 

Outrora, eram os pais,

Nas praças e avenidas.

Dobrada a esquina, o futuro

Há pouco, de cara pintada.

 

 

Antes, era o fora o Mal.

Hoje, um é o outro e tudo é dual.

Há espelhos para ambos

No abismo do fim da estrada.

 

 

O duelo vai terminar.

Anunciado o oitavo round.

Os juízes já estão no templo.

O povo será crucificado.

 

 

Aturdido, sem nada entender,

(O que quer a multidão?)

Um homem simples, corado

Não sabe como pedir.

 

 

Eu o vi, desempregado,

À porta da padaria,

Olhar acabrunhado.

Em casa, uma família

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s