Poema de Fim-de-Semana: Hoje

Congresso no sol nascentePoema de Luiz Martins da Silva.
Foto de Ricardo Albuquerque Equipe Minha Capital.

 

Hoje, mais uma vez,

o morro não tem vez.

E, se alguém a tiver,

não estará de nenhum lado

de uma Esplanada de lágrimas.

 

  

Hoje, alguém morrerá.

E não será um banqueiro.

Sequer um banqueiro do bicho.

Acaso, alguém joga no bicho que vai pegar?.

Aposte na democracia, mas, ela não está na roleta.

 

  

Por mais que alguém aposte no placar,

o que der e vier, virá de mal a pior,

se não se mudar a letra do samba,

esse que se já sabe de cor,

quando o camaleão muda de tom.

 

  

Que ismo seria bom?

Fosse Parlamentarismo,

Teríamos tantos assentos,

poltronas, bancos, banquinhos

e até um cantinho ao rés do chão?

 

  

Não se iluda, irmão.

Mesmo sem estender a mão,

não leve nada contundente,

cuidado com o gás e com a pimenta.

Recupere o seu voto e vá a luta.

 

  

A História é meio cega

e, parece, não quer lente

para tantos olhos que tem

para o passado, mas, há de haver

nem que seja um para o presente.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Brasil, Cultura, Literatura, Política & Partidos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s