Mijanaina dedo em risteComo nos bons tempos romanos em que os momentos políticos eram temas de inspiração aos músicos e autores,  em Brasília, nova ópera de rua retrata o momento nacional.

Cantores solistas, coro e orquestra de câmara estarão trazendo ao público, dia 21, o mais novo trabalho do maestro Jorge Antunes.

Olímpia ou Sujadevez.

A estreia acontece em Brasília, na Praça Vermelha Ary Pararraios do Conic, às 15h00 do dia 21 de maio, sábado.

0202Na Grécia Antiga, a Arconte Dilmias Roussélfies oferece um banquete aos atletas vencedores das Olimpíadas. Entre eles, o discóbolo Dedoárdius Nocúnhus, o saltador Renânius Calhórdius, a feiticeira-atleta Mijanaina Paschoalis Circe, o arqueiro Bolsonárius Escrôtius, o petequeiro Michelius Thêmerus e outros.

Mas todos os atletas convidados são traidores e conspiram contra a Arcote.

A orquestra é formada de flautim, flauta, clarineta, clarinete baixo, fagote, violão, tiorba, violino, percussão e baixo elétrico. O libreto da ópera pode ser lido aqui.

Jorge Antunes compôs três finais diferentes para a ópera: a plateia vota, para escolher um dos finais.

SERVIÇO

ópera de rua “OLÍMPIA OU SUJADEVEZ”

de Jorge Antunes

21 de maio, sábado, 15h00

Praça Vermelha Ary Pararraios do Conic

Entrada franca

Classificação livre

Anúncios