Park Way: Queixas de moradores levam Ibram a multar DER-DF por danos causados pela obra do BRT-Sul

BRT nascentes (17)

Queixas de moradores do Park Way leva o Ibram a multar o DER-DF por irregularidades na obra do BRT-SUL. Falta de drenagem provoca assoreamento no Córrego Coqueiros. Foto de Chico Sant’Anna.

Zelar pelo meio-ambiente é uma tarefa árdua. Nem todos os cidadãos tem clareza da importância de se ter uma cidade ambientalmente preservada. Entretanto, é mais impressionante quando constatamos que o poder público, a quem compete zelar pela preservação, é o primeiro a infringir as normas e ignorar a correta forma de se fazer as obras e outras intervenções urbanas. Um bom exemplo de órgão que parece olhar com descaso as exigências ambientais é o Departamento de Estradas e Rodagens do Distrito Federal – DER-DF. O órgão acaba de ser multado pelo Instituto Brasília Ambiental – Ibram, pelos danos causados pelas obras do BRT-Sul, que liga o Plano Piloto ao Gama e Santa Maria.

No início, a obra do BRT foi orçada em R$ 553.619.830,71, posteriormente, segundo informes do GDF à imprensa, a cifra passou a R$ 785 milhões, 41,8% a mais. Isto, sem contar com as obras do Túnel do Balão do Aeroporto e do corredor de ônibus até o Eixão, que consumiram cerca de R$ 100 milhões oriundos do governo federal e que substituiu a linha de VLT, anteriormente prevista.

20130407_102233

Sem o devido licenciamento ambiental, DER detonou com as árvores do Balão do Aeroporto, algumas com mais de 50 anos de existência. Foto de Chico Sant’Anna.

Especialistas apontam que o BRT do Gama, que ainda está inacabado – falta a perna que sai da floricultura do Núcleo Bandeirante, passa pelo setor de motéis da Candangolândia e vai até o Terminal da Asa Sul do metrô -, pode ter ultrapassado a RS 1,2 bilhão.

Esta não é a primeira vez que o DER-DF é autuado pelo Ibram. A obra do Balão do Aeroporto, que destruiu as árvores e vegetação lá existente não tinha autorização ambiental e motivou uma multa à época no valor de R$ 140 mil. Não tenho informações se a multa já foi paga, mas se o foi, sobrou para o contribuinte, pois a verba indenizatória sai dos impostos pagos pelos brasilienses. Essas multas deveriam sair do bolso do gestor público que infringiu as normas ambientais.

 

Leia também:

brt - corredeza agua da chuva pinguela em closeAs obras do BRT-Sul, em especial às margens da no trecho da EPIA que passa ao longo do Park Way, retiraram toda a camada de vegetação, deixaram crateras enormes e não contemplaram redes para captar a água da chuva.

A buraqueira impede em algumas situações até mesmo a chegada às paradas de ônibus. Quando chove, é um rio cheio de corredeiras, um perigo para quem tenta atravessar. Até mesmo a qualquer leigo, o processo de erosão já é visível a olho nu. E, 2015, uma pinguela de cascalho e manilhas foi feita, mas não aguentou à primeira chuvarada.

Multa Ibran no DER

Ibram multa DER-DF em R$ 3 mil por dia. Obra do BRT-Sul não tem licenciamento ambiental regularizado

Em vão, a comunidade do Park Way tem reclamado desde o início das obras. A administração regional tem sido o canal com o GDF. Em uma audiência da Câmara Legislativa do DF, o assunto foi novamente colocado. O Ibram foi oficializado, em dezembro de 2015. Demorou, em 7 de maio, o Ibram autuou o DER. O órgão do GDF é acusado de não ter o Licenciamento Ambiental da Obra do BRT-Sul totalmente regularizado, de cumprir as determinações de um auto de infração anterior, o AI-2530/2015, lavrado no ano passado; de ter abandonado as obras de drenagem sem concluí-las e, o que é mais grave, a ação devastadora do DER-DF contribui para o assoreamento do Córrego do Coqueiro, um dos afluentes do Lago Paranoá. Em outras palavras, o DER contribui para diminuir o fluxo d’água para o Lago, ou, o que é pior, contribuindo para que ele também seja assoreado.

Leia também:

Esta não é a primeira vez que o DER dá início a suas obras sem a devida autorização ambiental. A obra do túnel do Balão do Aeroporto é outro caso notório.

Leia também:

BRT Acessibilidade (2)

Até mesmo a qualquer leigo, o processo de erosão já é visível a olho nu. Foto de Chico Sant’Anna.

Pelas irregularidades da autuação de maio deste ano, o DER-DF foi multado em 3 mil reais por dia, até a regularização do Licenciamento Ambiental. Quanto aos reparos nas margens da EPIA e a conclusão das obras de drenagem, os moradores ainda não tem clareza de quando serão atendidos.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Áreas verdes, Ética na Política, Brasília - DF, BRT, Câmara Distrital, Cerrado, Desenvolvimento Urbano, Distrito Federal, Gama - DF, GDF, Meio ambiente, Mobilidade Urbana, Paranoá, Park Way, Recursos Hídricos, Santa Maria, Secretaria de Meio-ambiente, Secretaria de Transportes, Sistema Viário, Transporte Coletivo, Urbanismo. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Park Way: Queixas de moradores levam Ibram a multar DER-DF por danos causados pela obra do BRT-Sul

  1. Pingback: Mobilidade: GDF vai privatizar gestão das estações do BRT-Sul | Brasília, por Chico Sant'Anna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s