Argentina-Chile de-2009 192Poema de Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

Calma! Por algo, as novelas são iguais.
Mesmo quando na alma são reais.
Pantomima é um jogo de espelhos.
E não é que até cobram ingressos?

Egressos, queremos de volta o Paraíso.
Quanto mais alto, mais o monte Olimpo.
Deuses nos atiram aos andrajos da planície.
Sísifo, porém, ganha por rolar pedra acima.

Não existem emoções ruins, todas o são,
Ainda que algum jaleco nos declare,
De saber e laudo que há algo de errado
Quando para o mundo é sincera a nossa alma.

Calma! E tudo bem se os ídolos são de barro.
Ou, melhor, comem e expelem o que vem da terra.
Ouro, prata e bronze são somente símbolos
Que um papel aceita muito bem em desabafo.

Anúncios