por-do-sol-no-horizontePoema de Ana Rossi. Foto de Chico Sant’Anna

 

“Tudo o que é feito para mim, sem mim, é feito contra mim.” 

Nelson Mandela (?)

Gandhi (?)

 

No horizonte contínuo continuo
seguindo os meus pés
me levam ao amanhecer
de mim mesma, sempre

No horizonte sem fim
nós desfeitos, lágrimas secadas
seguindo meu caminho,vou
na calma do caminho

No horizonte específico
diluem-se os medos
pó do nada, sem mais
para o nada voltam

No horizonte lejano
vozes aparecem na varredura
tempo com asas
libertam-me de minhas fábulas

No horizonte de mim mesma
trabalho contido, trabalho varrido
trabalho começado e terminado
desnudo-me, e vejo minha beleza

Anúncios