Avivando a memória do eleitor

out-door-pec-teto-3-closeFotos e texto por Chico Sant’Anna

Fevereiro marca o retorno da vida parlamentar, seja no Legislativo Federal, seja no Distrital. No Congresso a agenda não é muito simpática à sociedade: mudança na Previdência Social, Reforma do Ensino Médio, flexibilização dos Direitos Trabalhistas e muito mais. As entidades da sociedade civil organizada já se preparam para pressionar os legisladores a não retirarem ainda mais os direitos sociais e prometem marcação cerrada nos deputados e senadores. Por sinal, já existem outdoors, espalhados nas ruas da Capital Federal, com o nome e retrato de quem votou favorável ao congelamento do orçamento nos próximos 20 anos. É para que os eleitores não se esqueçam desses nomes. Da bancada de 11 parlamentares só escapam dois da “lista de traidores do povo”: Erika Kokai (PT) e Rôney Nemer (PP).

20130620_201631Campo de batalha

E já que 2017 promete ser tenso, uma comissão especial estuda fórmulas para garantir manifestações políticas na Esplanada dos Ministérios e ao mesmo tempo evitar a violência. É o Comitê de Pacificação proposto pela articulação de parlamentares e movimentos sindicais, populares, logo após as manifestações contra a PEC 55, em 29 de novembro e 13 de dezembro.

Sob o comando da secretária de Segurança, Marcia Alencar, participam do Comitê entidades como as centrais sindicais, organizações estudantis, Comissão Brasileira de Justiça e Paz da CNBB e representantes do Ministério Público, OAB e das forças de segurança do DF.

A partir da criação de protocolos para a atuação das forças de segurança nas manifestações e combater a violência policial, Alexandre Varela, representante da sociedade civil no Conselho Distrital de Segurança Pública, acredita que o Comitê pode ser um importante instrumento para garantir o livre direito de manifestação sem que Brasília se torne num campo aberto de batalha.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Ética na Política, Brasília - DF, Cidadania, Direitos Humanos, Direitos sociais, Direitos trabalhistas, Distrito Federal, Eleições, Eleições em Brasília, GDF, Governo Federal, Polícia Civil, Política & Partidos, Previdência Social, Secretaria de Segurança, Segurança Pública. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Avivando a memória do eleitor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s