caesb-cor-agua-park-way-copoPor Chico Sant’Anna

Não é só o mercado de caixa d’água que anda ativo em Brasília. O mercado de filtros centrais de água deve ter aquecido na primeira semana de racionamento d’água efetivado pela Caesb.

A partir da experiência vivenciada por moradores de diferentes quadras do Park Way, pode se dizer que a Caesb está vendendo lama ao preço de água potável. Barro e água marrom foram o que muitos consumidores encontraram após abrir suas torneiras nos dias que sucederam ao corte do fornecimento.

Quem tentou lavar roupa, viu a máquina de lavar se transformar numa betoneira de enlamear todas as peças. Além dos prejuízos, há, ainda, o medo da conta que vai chegar. Há quem diga que nela estará faturado o ar acumulado na rede de abastecimento que movimentou os hidrômetros.

bb-faixa-1-closeBanco do Brasil

Em Brasília, 18 agências do Banco do Brasil estão sendo fechadas e quatro transformadas em postos de atendimento. A medida faz parte do programa de redução de despesas que o governo Temer está aplicando à instituição bancária.

Mas muitos moradores e correntistas, além dos bancários, não estão entendendo os critérios de fechamento das agências. Locais que tem elevado movimento de correntistas e de transações bancárias estão sendo fechados.

São casos com das agência da sede central da Empresa de Correios, no Setor Bancário Norte, da do Guará II, a única naquele bairro, e da CLS 406. Nesta, inclusive, correntistas, bancários e comerciantes deram início a uma campanha contra o fechamento da agência. Faixas estão espalhadas aos quatro cantos da quadra lembram que a agência é superavitária e pedem a revisão da decisão. O apelo é personalizado: endereçado ao presidente Michel Temer. Mas, parece que ele não ouviu os apelos. a agência já não está mais operando e até os caixas automáticos foram retirados.

Anúncios