Urbanismo: Filha de Lucio Costa critica gestão de Rollemberg

Foto de Bento Viana

Maria Elisa Costa atribui a preservação de Brasília muito mais à capacidade de luta dos moradores da cidade do que a ação de seus mandatários. Foto de Bento Viana

Maria Elisa Costa, filha de Lucio Costa, que é tia de Rodrigo Rollemberg, questiona a capacidade executiva do governador.

Por Chico Sant’Anna

A imagem de Rodrigo Rollemberg não anda nada boa. Até mesmo no circulo mais íntimo, familiar, do governador as coisas não estão boas. E uma das áreas de desgaste é exatamente na preservação de Brasília, enquanto patrimônio histórico cultural da Humanidade, e mesmo do Distrito Federal, enquanto uma Unidade da Federação que sempre se notabilizou pela qualidade de vida. As mais recentes críticas que circularam nas redes sociais foram provenientes de Maria Elisa Costa, filha do criador de Brasília, Lucio Costa, e tia de Rodrigo, já que foi casada com o irmão da mãe do governador.

Dialogando abertamente com moradores de Brasília, defensores da preservação das ideias de Lúcio Costa, Maria Elisa colocou em dúvida a capacidade de gestor, de governante do sobrinho. “Sempre achei que existem dois tipos de vocação política, o parlamentar e o executivo (para o parlamentar, o produto final é palavra, e para o executivo a obra executada). Rodrigo tem vocação parlamentar.”

"De longa data vejo Rodrigo mais próximo de um parlamentar do que de um executivo." Foto Arquivo Correio Braziliense

“De longa data vejo Rodrigo mais próximo de um parlamentar do que de um executivo.” Foto Arquivo Correio Braziliense

Críticas da filha de Lúcio Costa

A esse repórter, por email, Maria Elisa explicou que “de longa data vejo Rodrigo mais próximo de um parlamentar do que de um executivo. Um exemplo banal: há mais de um ano peço que pintem o embasamento da Torre de TV de cinza-concreto, eliminando aquele visual ridículo, como se o embasamento estivesse de meias soquete – nada acontece… Um executivo certamente já teria dado conta do recado.”

Publicado originalmente na coluna Brasília, por Chico Sant'Anna, do semanário Brasília Capital.

Publicado originalmente na coluna Brasília, por Chico Sant’Anna, do semanário Brasília Capital.

“Conhecem aquele ditado que diz Santo de casa não faz milagre? Eu custei a entender esse deliberado e radical distanciamento que Rodrigo, estabeleceu comigo em relação a Brasília. Acho que é, exatamente, porque ele sabe que eu sei das coisas, e deve ter visto isso mais como uma ‘ameaça’ ao poder dele como governador, inclusive sendo esse governo o primeiro da chamada Geração Brasília – gente moça não acha a menor graça em superego!!! A primeira condição para administrar Brasília é entender que se trata de administrar duas situações opostas e indissociáveis: uma cidade de quase três milhões de habitantes que quer crescer + o Centro Histórico dessa mesma cidade, que se impõe preservar” – registrou nas redes sociais a filha de Lúcio Costa.

Defesa dos moradores

Defensora do verde, como parte integrante do projeto urbanístico do pai, Maria Elisa Costa atribui a preservação de Brasília muito mais à capacidade de luta dos moradores da cidade do que a ação de seus mandatários. “Cada vez eu acho mais que o que segura Brasília, através dos sucessivos governadores, é a própria Brasília, se não fosse forte, não sobraria nada. E hoje existe outra coisa, da maior importância: os moradores defendem a cidade como ela é” – afirma a Urbanista, lembrando que desde a Nova República, poucos foram os governadores que a procuraram para opinar sobre preservação e projetos de Brasília. E que isso também não acontece com Rodrigo Rollemberg.

Preservação de Brasília

“Conheço a família Rollemberg desde os anos 60 (meu marido era irmão de Teresa Rollemberg). Sempre tive uma ótima relação afetiva com todos e nenhuma relação vinculada à preservação de Brasília. Os únicos momentos de proximidade foram propiciados pelos governadores José Aparecido de Oliveira e Joaquim Roriz, época em que fiz parte do Conselho de Arquitetura Urbanismo e Meio Ambiente do DF – CAUMA” – conclui ela.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Áreas verdes, Brasília - DF, Cerrado, Desenvolvimento Urbano, Distrito Federal, GDF, Plano Piloto, Terra & Grilagem, Urbanismo. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Urbanismo: Filha de Lucio Costa critica gestão de Rollemberg

  1. Precisamos olhar Brasília como território único, neste sentido é muito importante que a Sra. Maria Elisa, veja o que está acontecendo de bom no Sol Nascente. Devemos fazer im esforço para não fragmentar maos

    Curtir

    • leonardooc disse:

      Território único?! Nunca! Quer goste ou não isso é uma falácia que vai de contra o conceito de cidade. DF nunca deve ser considerado Brasília como um todo. Isso é absurdo, não importa o que a constituição diga.

      Curtir

  2. Pingback: Urbanismo: A falta que faz Aparecido | Brasília, por Chico Sant'Anna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s