Lote onde deveria estar funcionando um Creas foi apropriado pela Assembléia de Deus. Foto Sindsasc.

No DF, nem sempre o que é de César é a César

 

Por Chico Sant’Anna

 

Nos evangelhos sinóticos, em Marcos 12-17, a Bíblia registra a frase dai a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus. Segundo os teólogos, a expressão se tornou uma espécie de resumo da relação que deve ocorrer entre o cristianismo e a autoridade pública, ou seja, o poder governamental. Mas, na prática, em Brasília não tem sido bem assim e são reincidentes os casos de Igrejas e Templos que se apoderam de imóveis e espaços pertencente ao poder público para se estabelecerem, gerando prejuízos financeiros e sociais às comunidades.

Publicado originalmente na coluna BRASÍLIA, POR CHICO SANT’ANNA, no semanário Brasília Capital.

O sindicato dos Servidores da Assistência Social e Cultural do GDF – Sindsasc denuncia em seu portal a ocupação por um templo da Igreja Assembleia de Deus do Novo Dia de um terreno situado na Quadra 5, Área Especial 1, do Setor Oeste da Estrutural, pertence à secretaria de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos – Sedestmidh. O imóvel era destinado à construção de um Centro de Referência Especializada de Assistência Social – Creas, mais do que necessário para aquela comunidade, pois trabalha com famílias em situação de vulnerabilidade econômica. Dentre as atividades de um Crea está justamente o de atender a comunidade beneficiada com o Bolsa Família.

Por falta de instalações, o Creas-Estrutural divide espaço com outra unidade da secretaria na cidade. Ambos estão se valendo de um espaço da administração regional que deveria ser um centro cultural. Desta forma, a comunidade fica também prejudicada pela falta de um espaço para desenvolver a cultura local. Cerca de 35% dos 25.732 habitantes da região administrativa têm menos de 14 anos e uma das principais demandas deles é a falta de opções para atividades culturais. Clayton Avelar, presidente do Sindsasc, cobra do GDF providências para recuperar o patrimônio público.

Terreno, localizado na Quadra 7, conjunto 4, do Setor Leste, foi ocupado pela Igreja Jesus Bom Pastor. O lote é destinado à construção de uma creche pública.

Bom Pastor

Lideranças comunitárias da Estrutural também denunciam a Igreja Católica por tomar para si outro terreno. Este localizado na Quadra 7, conjunto 4, do Setor Leste, onde ergueu as instalações da Igreja Jesus Bom Pastor. O lote é destinado à construção de uma creche pública da secretaria de Educação. A instalação de creches na Estrutural é reivindicação antiga da comunidade. Ao lado do Paranoá, de Planaltina, do Recanto das Emas e de São Sebastião, a Estrutural é uma das regiões administrativas onde não há escolas de educação infantil suficientes para atender a demanda da garotada de 4 e 5 anos de idade.

A ação teria contado, segundo essas lideranças, com o beneplácito do ex-vice-governador Tadeu Filippelli. Tudo aconteceu há quatro anos e até hoje a Igreja não foi retirada nem a creche construída. Logo, logo, algum distrital bom samaritano apresentará projeto-de-lei para que os imóveis apoderados por Igrejas e Templos sejam doados formalmente às entidades confessionais.

Anúncios