Poema de Fim de Semana: Ao Cristo, não!

Por Luiz Martins da Silva

No Corcovado, quem abre os braços sou eu...
 Belchior

O Corcovado não,
Não é um assaltante
E nem por um instante
Fechará os braços
A não ser por um abraço
De amor e compaixão.

Nenhuma ganância por inteiro,
Nacional ou estrangeira,
Justificará a ofensa
De pendurar em mãos santas
A arma da estupidez
E uma sacola de dinheiro.

Por que não ostentam uma capa,
The Guardian, The Economist,
Com a bandeira dos piratas?
Por acaso a torre do Parlamento
É marca de toda a rapinagem
De ingleses pelo mundo?

Por aqui, estivemos solidários
Com todas as vítimas do horror
De Londres a Manchester.
Onde haja violência,
No Rio ou em qualquer Reino,
Estaremos solícitos aos hóspedes.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura, Poemas & Poesias, Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s