Nova eleição está chegando e Rollemberg repete os mesmos erros do antecessor e parceiro nas eleições de 2010. Conseguiu afastar dele diversos segmentos, partidos e entidades que o apoiaram em 2014. Tudo por fazer uma gestão que pouco se diferencia da de Agnelo.

Por Chico Sant’Anna

 

As propostas de alterações urbanísticas e a não priorização de políticas públicas foram algumas razões que levaram o então governador Agnelo Queiroz a perder apoio dentre seus eleitores. Rodrigo Rollemberg, com seu slogan Geração Brasília, se beneficiou muito disso. Ao prometer uma postura diferenciada em relação a questões de mobilidade urbana, ocupação do solo, meio-ambiente, preservação do projeto de Brasília, procurou se diferenciar do petista e angariou muitos votos.
Nova eleição está chegando, e Rollemberg repete os mesmos erros do antecessor. Conseguiu afastar dele diversos partidos, segmentos e entidades que o apoiaram. Tudo por fazer uma gestão que pouco se diferencia da de Agnelo. O PDT é a mais recente agremiação que deixa o barco do Buriti.

Frente comunitária
Depois de representar contra o governo no Ministério Público, uma frente formada por quatorze entidades comunitárias e cinco movimentos sociais, lançou uma carta aberta à Brasília. Acusam o governo de insistir no adensamento urbano do DF, “sem o devido dimensionamento da demanda e desconsiderando a grave situação hídrica em que se encontra o DF.” Rollemberg, que não ampliou um centímetro sequer da linha do metrô nem implantou o VLT, como prometido, é acusado de “na contramão da sustentabilidade urbana, favorecer o transporte individual motorizado, em detrimento do transporte coletivo.”

Publicado originalmente na coluna BRASÍLIA, POR CHICO SANT’ANNA, no semanário Brasília Capital.

Crise Hídrica

Afirmam ainda que o GDF tem sido omisso na “adoção de ações governamentais efetivas para a proteção e recuperação de nascentes, cursos d’água e captação das águas das chuvas.” “Houve alguma preocupação e ações por parte dos organismos públicos para mobilizar a população no sentido de iniciar a captação de águas da chuva durante esse próximo período pluvial?” As entidades ainda assinalam descaso do GDF para com a preservação e recuperação dos espaços culturais, como o Teatro Nacional, bem como para a preservação do conjunto urbanístico de Brasília. Pedem mais diálogo, transparência e, principalmente, respeito com as entidades representativas dos brasilienses.

Anúncios