Em vez de iludir a população com perspectivas de boas chuvas, em janeiro e fevereiro, melhor seria incentivar um menor gasto d’água pelos consumidores, uma vez que o número de consumidores do DF continua crescendo.

 

Por Eugênio Giovernardi

 

Quanto choveu em Brasília, em 2017?

A Agência Nacional de Águas (ANA) tem pluviômetros instalados em muitos pontos do Distrito Federal. Isto permite ter um balanço aproximado do volume d’água em toda a área controlada. Milímetros a mais ou a menos, todas as regiões do DF recebem quantidades aproximadas. A leitura d’água se faz diariamente, às 7h da manhã e os valores do mês são repassados à ANA. No portal da Agência, é possível acompanhar todas essas informações. No Sítio das Neves, localizado no Engenho das Lages, na saída para Goiânia, no Km 26 da BR-060, o pluviômetro nos deu as seguintes leituras comparativas:

Veja também o vídeo-comentário:

Em 2016, a precipitação de janeiro a dezembro foi de 1.929mm. Em 2017, foi de 1.478mm. Houve uma redução de 450,3mm, isto é, 450 litros por metro quadrado.

Segundo informações oficiais, a área de alimentação do reservatório Descoberto é de 460 km², equivalentes a 460 milhões de m². Em 2017, com a redução das chuvas, a área mencionada deixou de receber 207 bilhões de litros de água. A devastação da área, a impermeabilização urbana e o uso inadequado para a agricultura contribuíram para agravar a deficiência da recarga dos alimentadores do Descoberto. Diante destas circunstâncias, a Adasa e a Caesb não possuem elementos suficientes para amenizar o racionamento, mesmo que o volume do reservatório chegue a 50% em março.

Leia também:

Em vez de iludir a população com perspectivas de boas chuvas, em janeiro e fevereiro, melhor seria incentivar um menor gasto d’água pelos consumidores, uma vez que o número de consumidores do DF continua crescendo.