Na Política, quando pensa-se que já se viu tudo é ai que estamos enganado.

O deputado federal Izalci Lucas (PSDB) lançou nesta sexta-feira sua chapa ao Buriti que traz de carona como candidato ao senado, Cristovam Buarque (PPS). As vagas de vice-governador e a segunda vaga ao Senado ainda estão em aberto.

Cristovam é um defensor da escola e educação públicas. Já Izalci é ligado às escolas privadas. Já foi duas vezes presidente do Sinepe, sindicado que as representa. Mas com esforço de compreensão, é possível entender. Se Cristovam foi do PT e do PDT e hoje está no PPS e ainda votou, a pedido de Michel Temer, pelo congelamento dos recursos para a Educação, na PEC 95; não haveria grandes distâncias conceituais entre Temer e Izalci.

Bolsonaro
A novidade é que na coligação de nove partidos montada para dar sustentação a Cristovam está o PSL, de Bolsonaro. Pergunta-se:

  • Cristovam e Bolsonaro subirão no mesmo palanque?
  • Como usar do tempo na propaganda eleitoral do PSL e excluir o líder máximo do partido?
  • Como reagirá o deputado Coronel Fraga (DEM), que se dizia representante de Bolsonaro no DF? Vai compor nesta Chapa?
  • Para andar de mãos dadas com Bolsonaro, não teria sido melhor Cristovam ter negociado logo a vaga para vice-presidente da República na chapa do militar reformado? Sonho que ele acalenta há muito tempo.
  • E o eleitor: o que pensará dessa dobradinha Cristovam Bolsonaro?

As urnas deverão responder a tudo isso, inclusive a este mais novo capitulo da biografia de Cristovam Buarque.

Esta arquitetura eleitoral que vai do PSDB a partidos como o Patriota, PSL, PSD pode ser a tentativa de Cristovam tentar construir um eleitorado de centro-direita, já que ele perdeu o apoio da esquerda que sempre o elegeu.

Nota de atualização

No inicio da madrugada desse sábado, o deputado Izalci Lucas enviou nota a este blog, cuja integra pode ser lida na seção de comentários abaixo, que o partido de Bolsonaro no DF, PSL-DF, não irá integrar a coligação e que a presença do presidente da legenda no lancamento da chapa que Cristovam integra foi apenas uma questao de cortesia.

A participação do PSL na coligação partidária foi igualmente divulgada por outros veículos de comunicação.

O blog informa, contudo, que para a redação desse artigo procurou o gabinete do senador Cristovam no final da tarde desta sexta-feira e que não foi negada a participação do PSL de Bolsonaro na coligação. Pelo contrário, no que nos pareceu ser uma forma de amenizar o impacto de tal coligação,  foi dito que o PSL-DF não iria levar efetivamente a candidatura de Bolsonaro na Capital Federal.

Outros veículos de comunicação informaram igualmente a participação do PSL na coligação partidária .