Poema de Ana Rossi. Foto de Chico Sant’Anna

vestígios de mim
deixo
a cada dia
vestígios do que fui
vestígios do ontem
e também
indícios do que serei
amanhã

os vestígios me completam
casas diárias
jornadas etéreas
vidas plenas
em seu porvir

vestígios de mim
sempre soaram dentro de mim
vestígios do meu sorriso
que foi
e que
ainda virá
meu

vestígios de mim
são formações geológicas
que se imprimem
em mim
o mundo
sempre impactante
impacta
também
nos meus vestígios
olho
vejo
analiso
interpreto
saboreio
e sigo

vestígios de mim