As duas maiores organizações criminosas do Brasil, PCC e CV, contariam no interior de Goiás com, pelo menos, 1.500 integrantes e uma boa estrutura financeira.

 

Por Chico Sant’Anna

 

O que era um temor especulativo, e que corria como rumores no Distrito Federal, foi confirmado pelo governo federal:  é forte a presença do Primeiro Comando da Capital – PCC e Comando Vermelho – CV, em Goiás.

As duas organizações criminosas contariam com pelo menos 1.500 integrantes e uma boa estrutura financeira. A informação foi repassada pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, ao governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado.

Nos informes divulgados após o encontro entre os dois, não foi explicitada a localização geográfica, mas policiais do Distrito Federal reconhecem que eles estão logo ali, nos municípios goianos do Entorno do Distrito Federal. Pelo menos, desde o início de 2017, o ministério da Justiça mantém tropas da Força Nacional em Luziânia. Das duas organizações, segundo o ministério da Segurança Pública, o PCC contaria com 1.000 integrantes em cidades do interior. Já o Comando Vermelho teria 500 pessoas, mas estaria financeiramente melhor estruturado.

É grave o cenário da segurança pública do Estado de Goias. A força policial conta com 3.635 policiais civis, 11.667 policiais militares e 2.790 bombeiros para atender a uma população de quase sete milhões de pessoas em 246 municípios. Cidades como Valparaíso e Novo Gama não contam, por exemplo, com quartéis do Corpo de Bombeiros. No sistema prisional, há uma defasagem de 9.767 vagas em presídios.

Prisão de Segurança Máxima

Localizada em São Sebastião, em março desse ano, Brasília ganhou uma unidade penitenciária federal de segurança máxima. É a quinta unidade de segurança máxima do país. As demais são: Catanduvas (PR), Campo Grande (MS), Mossoró (RN) e Porto Velho (RO). Ela representou investimentos de R$ 40 milhões na obra e cerca de R$ 5 milhões em equipamentos. O primeiro bloco inaugurado tem 52 celas – a unidade terá 208 ao todo quando os quatro blocos estiverem concluídos

O grande temor da instalação dessa unidade é que ela abrigará condenados de alta periculosidade que perpetraram seus crimes em outras Unidades da Federação. Condenados do padrão Fernandinho Beira Mar e Marcola do PCC poderão ser transferidos para Brasília.

A transferência de um preso desse perfil e pirte implica, segundo policiais, na vinda de parentes, equipes de apoio e, quando menos se espera, uma célula do crime organizado se instala no Distrito Federal ou no seu arredor.

Ou seja, o Distrito Federal passa a importar um padrão de criminalidade que não possuia antes, apenas por ganhar uma prisão federal de segurança máxima.