Por Chico Sant’Anna

A Apa Gama-Cabeça do Veado é responsável pela terça parte das águas que chegam no Lago Paranoá. O Ribeirão do Gama, com seus dezesseis afluentes, forma uma importante bacia hídrica, porém muita gente desconhece os cursos d’água e, às vezes, não respeita esse importante patrimônio ambiental.

Publicada originalmente na coluna BRASÍLIA, POR CHICO SANT’ANNA, no semanário Brasília Capital.

Numa iniciativa inédita, a administração regional do Park Way, bairro por onde passam muitos desses córregos e riachos, passou a identifica-los. Placas sinalizadoras indicam onde os cursos d’água atravessam as vias urbanas. Além das indicações dos cursos hídricos, estão sendo afixadas placas alertando em relação à travessia de animais.

O Córrego do Mato Seco tem suas nascentes próximas ao Catetinho. Comunidade defende a transformação da área em Parque Ambiental. Foto de Thiago Luz

Leia também:

Os primeiros a serem identificados foram o Córrego do Maro Seco, que nasce próximo ao Catetinho, numa área pública entre as quadras 27 e 28 do bairro – é nesta área que a comunidade quer criar um parque ambiental para a proteção das nascentes -; o córrego do Cedro, que brota nas imediações da Quadra 26 e deságua na Lagoa do Cedro, próxima à quadra 17; e o maior de todos: Ribeirão do Gama, que atravessa o cerrado, desaguando no Lago Paranoá, próximo à QI 17.

Quem sabe, com maior conhecimento, essas áreas sejam mais bem protegidas, para o bem de toda Brasília.