O que mais incomoda é vermos pais de alunos, desavisados e desinformados, apoiarem esse projeto de militarização do ensino. São vítimas da propaganda muito bem feita pelo governo e por parte da imprensa, como se isso fosse a solução para a melhoria da qualidade  do ensino nas escolas públicas do Distrito Federal.

 

Por Toninho do Psol

 

Estamos prestes a vivenciar uma trágica mudança nos rumos da educação pública no Distrito federal, com a introdução da gestão militar em diversas unidades educacionais.

Lembro que durante a campanha eleitoral em 2018, o então candidato Ibaneis prometia recuperar o sistema público de ensino, chegando mesmo a assumir, durante uma entrevista à Rede Globo, a pauta de reivindicações dos professores e demais trabalhadores da educação. Da mesma forma que prometeu acabar com o sistema de gestão privada do Hospital de Base.

Agora, na condição de governador, não fez nem uma coisa e nem outra. Ao contrário. O governador quer passar, de forma paulatina, a gestão das escolas públicas para a Polícia Militar, retirando esses profissionais de segurança das ruas, para isolá-los dentro das escolas em tarefas completamente diversas para as quais foram contratados.

Respeitamos os profissionais da área de segurança, sejam eles PM`s, Bombeiros Militares ou Policiais Civis. Eles podem perfeitamente realizarem suas atividades e atribuições até a porta das escolas. Dentro da escola NÃO! Alí é área privativa de professores, trabalhadores do ensino e estudantes. Escola não é quartel.

Os policiais militares não são e não estão preparados para cuidar de alunos. A missão da escola não se confunde com a sua missão. Ademais, seria humilhante para esses profissionais de segurança pública ter que passar em revista meninos e meninas para medir tamanho de suas vestimentas, cumprimento de cabelos ou penteados, ou cantar todos os dias o Hino Nacional na entrada da escola. Se isso vier a ocorrer, seremos com certeza,  motivo de chacota e pilhéria diante desse absurdo.

Sobre a proposta de militarização de escolas públicas no DF, leia também:

Mas afinal, o que está acontecendo com a educação nesse momento histórico? Não tenho as respostas acabadas, porém não podemos deixar de registrar que a maré conservadora tem invadido os meios de comunicação, entidades governamentais, governantes e chefias identificadas com as mais reacionárias doutrinas no campo educacional e pedagógico, e que isso, com certeza faz crescer a influência e a propagação dessas idéias na sociedade.

O que mais incomoda é vermos pais de alunos, desavisados e desinformados, apoiarem esse projeto de militarização do ensino. São vítimas da propaganda muito bem feita pelo governo e por parte da imprensa, como se isso fosse a solução para a melhoria da qualidade  do ensino nas escolas públicas do Distrito Federal.