Boulos falou a cerca de mil universitários no campus da UnB. Foto Chico Sant’Anna.

Na UnB, Boulos pediu que a juventude não fique apenas no hashtag das redes sociais e vá pra rua defender seus direitos.

 

Por Chico Sant’Anna

Com 10 deputados federais eleitos, o Psol ficou livre das agruras daqueles que não conseguiram superar a cláusula de barreira. Enquanto outros partidos buscam uma sobrevida, com fusões e incorporações, o Psol promove um giro pelo Brasil de Guilherme Boulosm seu candidato à presidência da República, em 2018. A idéia é ganhar mais musculatura popular.

No giro, o Psol busca se posicionar nacionalmente como a verdadeira oposição ao governo Bolsonaro e atrair mais filiados e militantes. O partido, com 10 deputados federais, tem feito barulho contra a reforma da Previdência, contra a redução dos Direitos Humanos e combate à flexibilização dos direitos trabalhistas.

Publicada originalmente na coluna BRASÍLIA, POR CHICO SANT’ANNA, no semanário Brasília Capital.

Em Brasília, Boulos falou nessa semana para cerca de mil estudantes da UnB. Lembrou a combatividade histórica dos universitários de Brasília, que enfrentaram duas invasões militares no Campus Darcy Ribeiro: uma em 1968 e outra em 1977. Pediu que a juventude não ficasse apenas no hashtag das redes sociais e vá pra rua defender seus direitos.

O Psol busca ainda ampliar sua base de filiados em todo o Brasil, que hoje conta com 150 mil filiados. Cerca de 1% do total de brasileiros que são filiados a algum partido. Em Brasília são cerca de 3.500, segundo os dados de fevereiro do TSE.