As aves tinham destino a cidade mineira de João Pinheiro e lá deveriam render, por baixo, cerca de R$ 40 mil. O motorista do Voyage foi contratado por R$ 850,00 para fazer o transporte ilegal das aves.

 

Por Chico Sant’Anna

 

Em tempos de afrouxamento das normas e fiscalizações ambientais, não só o desmatamento vem crescendo, mas também o tráfico de animais silvestres. A situação no Distrito Federal se agrava ainda mais, pois a superintendência regional do Ibama foi fechada por ordem do governo Bolsonaro.

Tem sido rotina para fiscais do Ibram e para a Polícia Militar Ambiental do Distrito Federal flagrar casos de tráfico interestadual de animais silvestres. O caso mais recente envolveu a apreensão de 400 aves típicas do Cerrado. Aconteceu na rodovia na DF 180, que liga Ceilândia a Brazlândia, próximo a interseção com BR-70, que interliga o Distrito Federal com Goiás, nas proximidades de Águas Lindas. Em uma operação noturna, o Grupamento Tático Ambiental – GTA ALFA 01 abordou um VW Voyage com placa de Minas Gerais, que transportava sete caixas com, aproximadamente, 400 pássaros da fauna silvestre dentre eles Curiós, Coleiros e Caboclinhos. Os animais estavam sem qualquer conforto e uma longa viagem poderia levar a morte muitos deles.

Sobre esse tema, leia também:

Curió e Coleiro são aves canoros, muito apreciadas pelos mercadores devido ao canto. Há mesmo concursos de cantos de curiós onde o volume de dinheiro envolvido é muito grande. O Caboclinho, igualmente conhecido por Fradinho, Bico-de-ferro e Ferrinha, dependendo do estado, também é muito apreciado pelo seu canto e por isso alvo da cobiça dos traficantes de animais silvestres. É uma ave comum ao Distrito Federal e já tivermos a oportunidade de registrar suas características aqui nesse blog.

Leia também:

As aves tinham destino a cidade mineira de João Pinheiro e lá deveriam render, por baixo, cerca de R$ 40 mil. O motorista do Voyage foi contratado por R$ 850,00 para fazer o transporte ilegal das aves. Como se trata de crime federal, o caso foi remetido à Polícia Federal. As aves foram enviadas ao Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama e deverão ser reinseridas na natureza, se estiverem em condições de saúde para tanto.

Veja aqui o vídeo no momento da apreensão dos animais