Integrantes do antigo PPL de Brasília se reúnem nessa quarta-feira pra decidir o que farão nesse novo cenário. O filho do ex-presidente João Goulart, João Vicente, que presidia o PPL-DF e era vice do diretório nacional, disse ser contra a militarização.

Por Chico Sant’Anna

A militarização das escolas do Distrito Federal, decretada por Ibaneis Rocha, pode implodir com o Partido Pátria Livre (PPL) e de quebra ricochetear no Partido Comunista do Brasil ( PC do B).

Explico:

Com a renúncia de Rafael Parente, que bravamente se rebelou contra a postura arbitrária do governador Ibaneis – que deseja militarizar escolas cujas comunidades votaram contra – a secretaria de Educação caiu no colo do atual secretário do Trabalho, João Pedro Ferraz. Ferraz, advogado, foi o candidato do PPL-DF ao Senado. Pelo apoio eleitoral à candidatura de Ibaneis, o PPL foi agraciado com a secretaria do Trabalho e de porteira fechada. Ou seja: todos os cargos comissionados naquela estrutura eram do partido. Ali estão abrigados os principais nomes do coletivo.

Do MR-8 ao PC do B

O PPL – que advem do Movimento Revolucionário 8 de Outubro – não conseguiu cumprir a chamada cláusula de barreira nas ultimas eleições e foi incorporado pelo PCdoB. Juntos conseguiram sobreviver. Os antigos filiados do PPL viraram comunistas do dia pra noite.
Sendo assim, a militarização das escolas do DF caiu no colo do PC do B.
Os integrantes do antigo PPL de Brasília se reúnem nessa quarta-feira pra decidir o que farão nesse novo cenário. Importantes lideranças como o filho do ex-presidente João Goulart, João Vicente, que presidia o PPL-DF e era vice do diretório nacional, revelaram a esse jornalista que são contra a assunção dessa tarefa escolar.
Entretanto, a eventual fusão das secretarias de Educação e a do Trabalho, fazem brilhar os olhos de muitos militantes partidários que terão uma estrutura de poder e de cargos inimaginável anteriormente.
Conseguirão os pepelistas ficar unidos? Ficarão contra a militarização, como defende seu comandante em chefe, João Vicente Goulart? Ou o aceno de poder e cargos oferecidos por Ibaneis irá implodir aqueles que no passado se inspiraram em Che Guevara?
Quanto ao que pensa o PC do B tradicional, ainda não tivemos um posicionamento de suas lideranças. Entretanto, existindo um mínimo de coerência, o normal seria se posicionar contra a militarização das escolas.