A queda na produção de ovos e no rebanho galináceo foi um dos destaques negativos na produção rural candango de 2018;

 

Por Chico Sant’Anna, com base em informações do IBGE

 

O ano de 2018 não foi bom para o agronegócio candango. A crise chegou no galinheiro. O ano registrou quedas na produção rural e nos quantitativos de rebanhos, cardumes e na avicultura. A produção candanga de origem animal, no ano de 2018, somou R$ 118,36 milhões, o que representou queda de 18,19% quando comparado com o ano de 2017. Os dados foram colhidos pela Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM 2018).

As galinhas foram um destaque negativo. Deixaram de botar 4,5 milhões de dúzias de ovos. No ano que passou, foram produzidos 19,28 milhões de dúzias de ovos de galinha, no valor de 80,42 milhões de reais, o que representou redução de 18,84% na produção e 28,75% no valor da produção, em relação a 2017.

Os únicos animais cujas produções apresentaram aumento em comparação com o ano anterior foram as codornas, que passaram de 21.500 para 61.597 cabeças. A produção de ovos de codorna somou 553 mil dúzias

No gráfico ao lado, observa-se uma série dos últimos 10 anos, com pico do efetivo do plantel de galináceos em 2016 e quedas consecutivas em 2017 e 2018.

Bovinos e suínos

Foram produzidos, na capital federal, 30,89 milhões de litros de leite, ordenhados de 15.842 vacas. O total de suínos foi de 151.827, o de bovinos 90.199, e o de ovinos 21.355. O menor rebanho era o de bubalino, com 851 cabeças. Os caprinos cresceram de 3.016 para 3.260 cabeças e os ovinos, que apresentaram um pequeno aumento de 88 cabeças, chegaram a 21.355 cabeças.

A produção de mel de abelha também apresentou redução entre 2018 e 2017. A quantidade de mel produzida no DF no ano passado foi de 11.069 quilogramas, uma queda de 22,73% ( cerca de 2,5 toneladas) na comparação com o registrado em 2017.

Piscicultura

Na aquicultura candanga, o produto de maior produção da capital federal foi a tilápia: 277,33 toneladas, mesmo assim, bem abaixo das 738,063 toneladas de 2017. Foram 460,7 mil quilos a menos. Em dinheiro, o valor da produção da tilápia ficou em 2,12 milhões de reais.

A produção de camarão passou de 100 quilogramas, em 2017, para 3.850 quilogramas, em 2018, alcançando 231 mil reais no valor da produção.

Desde 2013, quando teve início a coleta dos dados sobre aquicultura no DF, o ano mais produtivo foi 2014. Desde então, são verificadas quedas consecutivas ao longo dos anos. Isso pode ter se dado ao devido a desativação de tanques criatórios e mais recentemente, à crise hídrica.