Gotas de esperança e solidariedade bordadas em Brasília para serem expostas em Brumadinho.

Por Chico Sant’Anna

Esse o propósito de senhoras do Park Way que se dedicam ao bordado. Elas formam o coletivo Park Way Borda e decidiram participar do projeto semeando Esperança em Brumadinho.

Os votos de solidariedade foram registrados na ponta d’agulha. “Estamos, desde o início de janeiro, bordando para uma instalação que será montada no Inhotim, em apoio às bordadeiras de Brumadinho. Serão peças bordadas, em formato de gotas, e optamos por bordar flores do cerrado” explica Rachel Osório, uma das líderes da iniciativa.

Ao todo, foram enviadas a Inhotim 25 peças em tecido no formato de gotas. Cada uma delas, em cores e tecidos variados, traz estampadas flores do Cerrado da Capital. Caliandras, estrelinha do cerrado, cagaita, rabo-de-macaco, flor de pequi…, as estampas são diversas e se valem de diferentes tipos de técnica de bordado. Uma forma também de preservar e transmitir velhas técnicas que os portugueses trouxeram séculos atrás para o Brasil. “Fica bonito e significativo” – diz Raquel.

Antes de seguir para Minas Gerais, todas as peças foram expostas. Bailando ao vento, elas trazem leveza, alegria e carinho. Carinho de cada bordadeira que com isso incentivar aqueles que precisam recomeçar a vida, depois do criminoso acidente da Barragem de Brumadinho. A maior mensagem que as gotas pretendem espalhar pelas Minas Gerais é a esperança e o sentimento de que não estão sós.

Instalação

As gotas bordadas do Park Way, com tamanho médio de 30 por 20 centimetros, vão se somar a bordados executados por Bordadeiras de Brumadinho e de outras localidades do Brasil e formarão um grande painel, Gota da Esperança, no Museu Aberto de Inhotim.

 

Serviço:

O grupo Park Way BORDA, reúne-se se todas as quintas-feiras e tem como meta, além do desenvolvimento pessoal e integração da comunidade do bairro, realizar ações sociais com a receita das vendas dos bordados.