Essa é a terceira vez que o Antonov 124-100 pousa em Brasília. O avião chama a atenção pelo seu tamanho. Tem 65 metros de comprimento e 21 metros de altura até a ponta da sua cauda. Foto Camilla Stivelberg/InframericaAlém do inusitado do tipo de avião utilizado, o atraso de 24 horas na sua chegada trouxe apreensões. Ele estava previsto para chegar em Brasília um dia antes e deixou em suspense muita gente. A bordo, seis milhões de unidades de máscaras faciais, o que equivale a um peso de 40 toneladas.

 

Por Chico Sant’Anna

Pousou na madrugada dessa quarta-feira, 8/4, em Brasília, o segundo maior avião cargueiro do mundo: o Antonov 124-100. Como antecipado por essa coluna no dia 2/4 o cargueiro trouxe uma grande encomenda de insumos para prevenção a COVID-19. A bordo, seis milhões de unidades de máscaras faciais, o que equivale a um peso de 40 toneladas. Apesar da grande quantidade, a carga não foi importada pelo Ministério da Saúde, ou qualquer outro ente público. Trata-se de uma compra particular feita pela empresa goiana Nutriex, que investiu aproximadamente R$ 160 milhões de reais na compra.

A Nutriex atua na industrialização, importação e distribuição de cosmecêuticos, nutracêuticos e produtos hospitalares, com sede administrativa em Goiânia (GO) e fábrica em Aparecida de Goiânia (GO). Dentre os produtos que comercializa, está a máscara N-95, desenvolvida para defesa respiratória em ambientes hospitalares, e é exatamente a que mais preocupa as autoridades sanitárias, pois é mais segura. Segundo informa o perfil no Facebook da empresa, as máscaras serão destinadas a instituições nacionais de saúde, parte reservado à vendas e parte às doações.

O avião chama a atenção pelo seu tamanho. Tem 65 metros de comprimento e 21 metros de altura até a ponta da sua cauda. Em 1993, ele bateu recorde de transporte de carga, 132,4 toneladas. Para tanto peso, possui 24 rodas. Foto de Camilla Stivelberg/Inframerica

Voo misterioso.

Além do inusitado do tipo de avião utilizado, esta é a terceira vez que o Antonov 124-100 pousa no Planalto Central, o atraso de 24 horas na sua chegada trouxe apreensões. Ele estava previsto para chegar em Brasília um dia antes e deixou em suspense muita gente. O próprio portal da Inframerica não registrava a chegada dessa aeronave. Ele saiu de Xangai, na China, no dia 5, fez uma escala em Anchorage, no Alasca, e outra em Miami, antes de pousar na Capital. Diante das notícias de retenção, por parte do governo norte-americano, de insumos para o combate ao coronavírus nos Estados Unidos, temia-se que essa carga pudesse ter sido confiscada na Florida.

O temor aumentou ainda mais, diante da demorada escala em Miami. Segundo o site TrafficRadar, que registra operação de aeronaves em todo o mundo, a aeronave de tecnologia soviética aterrissou na Florida, no alvorecer do dia 6. Era uma parada técnica já prevista no plano de voo, mas o que preocupou foi a demora em levantar voo novamente, o que só aconteceu na noite da terça-feira, dia 7, chegando ao Aeroporto JK em meio da madrugada de hoje, 8/4.

Leia também:

O avião chama a atenção pelo seu tamanho. Tem 65 metros de comprimento e 21 metros de altura até a ponta da sua cauda. Em 1993, ele bateu recorde de transporte de carga, 132,4 toneladas. Para tanto peso, possui 24 rodas. Por isso, não pode pousar no Aeroporto Santa Genoveva pelas características técnicas da pista e também pelo fato daquele terminal não ser alfandegado, ou seja não há equipes da Receita Federal para fiscalizar a carga. Só existem 40 aeronaves desse modelo no mundo e, assim, trata-se de uma visita rara por aqui. A última vez que a capital federal recebeu a visita deste gigante foi em setembro de 2018, quando a aeronave fez um pouso técnico no terminal para abastecimento e descanso da tripulação. Antes disso o avião só deu as caras por aqui em 2009.

A Inframerica informa que o Antonov 124 foi recebido com cuidados especiais de higiene e precauções necessárias para evitar contaminação pela COVID-19. A carga seguiu para o Estado de Goiás via terrestre. Ele vai ficar pouco tempo em Brasília, mas há divergência quanto ao destino. A Inframerica informa que ele parte para Luanda, em Angola, nesta quinta-feira de madrugada. Já o site AeroIn, especializado em aviação, informa que ele retorna aos Estados Unidos, porém, desta vez, para Tulsa, no estado do Oklahoma.