Aos 60 anos, Brasília continua sendo destruída por moradores que não dão o devido valor ao que possuem. As residências da avenida W.3 são uma grande demonstração disso. Não bastassem os puxadinhos que se apropriaram de áreas públicas, as áreas verdes também estão sendo destruídas. Onde deveria prevalecer os gramados, as plantas, hoje o que se vê são carros subindo no verde e transformando jardins em garagens. O flagrante é do jornalista Luiz Solano, ele mesmo um morador pioneiro das casas da W.3 Sul.

 

Por Luiz Solano, publicado orignalmente no Blog do Cafezinho

 

A Capital da Republica já foi classificada como a região mais  arborizada do Brasil e com um verde de fazer inveja a muitos países, entretanto, esse verde está desaparecendo por culpa de moradores irresponsáveis e pela  falta de uma fiscalização mais rigorosa nesse setor de urbanização. Pois bem, nas principais quadras do Plano Piloto, principalmente nas 700 Sul, o verde esta desaparecendo, não por culpa da natureza e sim, pelo comodismo dos que habitam ou frequentam esse setor habitacional, concebido pelo  do arquiteto Lúcio Costa.

Onde era para ser um local de contemplação, passeio e de proteção, passou a ser vias para carros  de passeios até de veículos pesados. Esquecem os destruidores do verde que existe uma pista de asfalto, justamente para essa circulação, ou seja nos fundos das residências.

Um exemplo a ser dado é nas Quadras 706 e 707 Sul, onde o verde, esta dando lugar para trilhas de carros, destruindo grama e até árvores que foram plantadas pelo saudoso Ozanan Coelho, ex-diretor do Departamento de Parques e Jardins.

Mesmo em tempos da crise do coronavírus, é  hora do Governo de Brasília e a Novacap começarem a fiscalizar e fazer voltar com que Brasília, seja a cidade mais verde e arborizada do Brasil.