Dois eletropostos foram instalados na altura do KM 60, tanto na ida quanto na volta. A avaliação técnica é de que como essas estruturas está viabilizada a ligação entre as duas capitais de modo 100% elétrico e sem emissão de CO².

Por Chico Sant’Anna

Ter uma ligação Brasília-Goiânia movida a energia elétrica sempre foi o sonho de muita gente. Esse sonho, contudo, focava mais uma ligação ferroviária. Chegaram a falar em trem Bala, o Expresso Pequi.

Um eixo ferroviário certamente daria outro rumo ao desenvolvimento da região compreendida por Goiânia, Anápolis e Brasília.

Enquanto o trem não chega, a saída é ir por rodovia, mesmo, só que agora, já se pode de deslocar com carros elétricos e sem medo de ficar sem carga no meio do caminho. Nasce assim, a primeira eletrovia do Centro-Oeste.

Como forma de fomentar o uso de veículos movido à energia elétrica dois postos de recarga foram instalados na BR-60. Um no sentido de quem segue rumo a Anápolis, Pirenópolis ou Goiânia e, o outro, no sentido inverso.

Esse seria o primeiro passo para a criação da “Eletrovia Brasília – Goiânia”. A iniciativa conta com o apoio da Associação Brasileira dos Proprietários de Veículos Elétricos Inovadores – Abravei.

Com esses dois eletropostos para veículos elétricos – os primeiros no Centro-Oeste instalados em rodovias federais -, a viagem de e para Goiânia ou adjacências, ficará mais segura.

A cada hora de carga – enquanto o motorista saboreia uma iguaria regional – o veículo ganha uma ampliação da autonomia de rodagem em 50 km. Vale destacar que a recarga é gratuita para os motoristas.

Os dois eletropostos foram instalados em uma parada quase que obrigatória a todos que se deslocam nesse trecho da BR-60: os restaurantes Jerivá, de comidas e doces típicos goianos. No sentido Brasília-Goiânia, ele está localizado no KM 60. E no caminho de volta, no KM 64. A iniciativa é uma parceria da Abravei, que doou os aparelhos carregadores e tomadas, com o Jerivá, que entrou com a infraestrutura elétrica e civil, a instalação e que também irá arcar com os custos das recargas.

A cada hora de carga – enquanto o motorista saboreia uma iguaria regional – o veículo ganha uma ampliação da autonomia de rodagem em 50 km. Vale destacar que a recarga é gratuita para os motoristas. Os pontos funcionarão 24 horas/dia e, cada um deles, tem capacidade para atender até três carros simultaneamente.

Os veículos elétricos disponíveis no mercado brasileiro tem autonomia que variam, segundo as características de cada modelo, de 160 a 420 km. A avaliação técnica é de que como essas estruturas está viabilizada a ligação entre as duas capitais de modo 100% elétrico e sem emissão de dióxido de carbono – CO².