Distritais, federais, gestores do Executivo Federal. Em comum, todos estão burlando a lei eleitoral e fazendo propaganda eleitoral fora de época.

Os formatos são criativos. Pode ser um vídeo nas redes sociais, um adesivinho ou um adesivão. Um calendário de cartolina ou um grande outdoor de vinil. O objetivo é o mesmo: falar de si. Parece não haver limites para a propaganda eleitoral do pleito 2022.

Vídeos com as atividades semanais da ministra Flávia Arruda são difundidos massivamente nas redes sociais.

Tem também desde o tradicional calendário de parede – proibido pela legislação eleitoral, pois configura a doação de bens ao eleitor – a imensos outdoors,como o que foi instalado na EPAR, bem visível para quem ruma para o Aeroporto, Gama e Santa Maria. Detalhes precisos marcam as peças.

A ministra da secretaria de Governo da Presidência da República, Flávia Arruda (PL) ataca de todas as formas: nas redes sociais, vídeos bem produzidos com a “Semana da Flávia”.

"Flávia Arruda 2022" é a mensagem básica em todas as peças publicitárias.

O nome de Flávia Arruda aparece ao lado de 2022, a cor é o tradicional verde e a logomarca de campanha, com um galho de Arruda entrecortando a letra A é a mesma usada desde que seu marido ainda era elegível.

O deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos) é mais singelo, nem por isso, os adesivos que já estão sendo afixados em veículos de carros deixam de trazer o slogan “distrital da Saúde”.

Quem parece estar bem confortável é o distrital sargento Hermeto (MDB), além de um mega outdoor no mergulhão do Balão do Aeroporto que dá acesso do Park Way a Epar, o parlamentar “envelopou” um ônibus inteiro com a sua marca e está circulando pela cidade. Na foto, ele foi flagrado numa Praça da Candangolândia.

Publicado igualmente na coluna Brasília, por Chico Sant'Anna, do semanário Brasília Capital.

O Ministério Público disse estar atento e que a Promotoria de Justiça Eleitoral, responsável pela Zona Eleitoral 10, que abriga Candangolândia, Núcleo Bandeirante, Park Way e Riacho Fundo pode instaurar procedimento para apuração de irregularidade eleitoral e propaganda antecipada. É importante saber também, se é dinheiro do contribuinte que está bancando toda essa propaganda.