O senador Reguffe (União Brasil) articula uma frente partidária. Confirmada a partcipação da deputada Paula Belmonte (Cidadania), a candidatura do senador Izalci Lucas (PSDB) pode ser afetada.

Izalci se recolheu ao ninho e não quer cantar, digo falar. Nem sobre Doria, nem sobre a frente formada pelo União Brasil, Cidadania, Novo, Podemos e PSC, que deverá ter o senador Reguffe (UB), a deputada Paula Belmonte (Cidadania) e o advogado Paulo Roque (Novo) no voo eleitoral dessa passarinhada, unificada, rumo ao GDF e ao Senado. Em se confirmando, Izalci será abatido em pleno voo.

Por Chico Sant’Anna

Quem gosta de aves sabe que na troca das penas, na chamada muda, os pássaros não cantam. Nem mesmo os tucanos. A depenada, que resultou na renúncia da candidatura de João Doria (PSDB) à presidência da República, abalou também os ninhos tucanos no Planalto Central. Presidente do PSDB-DF, senador Izalci Lucas, era desde a primeira hora um entusiasta da candidatura de Doria. E Doria, sabedor disso, respaldava a candidatura ao GDF de Izalci, fortemente assediada pela presidente do Cidadania DF, deputada Paula Belmonte.

Izalci se recolheu ao ninho e não quer cantar, digo falar. Nem sobre Doria, nem sobre a frente formada pelo União Brasil, Cidadania, Novo, Podemos e PSC, que deverá ter o senador Reguffe (UB), a deputada Paula Belmonte (Cidadania) e o advogado Paulo Roque (Novo) no voo eleitoral dessa passarinhada, unificada, rumo ao GDF e ao Senado. Em se confirmando, Izalci será abatido em pleno voo – assim como o foi Doria.

Por sinal, a Federação PSDB-Cidadania, que deveria representar a ampliação de um só ninho, com passaredos de duas espécimes, tem revelado o Cidadania como uma verdadeira ave de rapina, desconstruindo ninhos tucanos. Nacionalmente, o presidente do Cidadania, Roberto Freire, é um dos articuladores do projeto eleitoral que excluiu Doria. Aqui no DF, a missão está nas mãos de Paula Belmonte, que já no segundo mandato sonha bater asas bem lá no alto. Ela e Izalci estão como dois bicudos: não se bicam.

Izalci aguarda a homologação da Federação PSDB-Cidadania pela Justiça Eleitoral. Acredita que a interpretação das regras estatutárias lhe dará o poder local, Belmonte tem crença igual, avalia que o estatuto lhe dará poder total. No PSDB-DF, há quem lembre que a federação com o Cidadania foi para dar sobrevida ao partido de Belmonte, que não superou a cláusula de barreira, e não para implodir o PSDB.

Publicado simultaneamente na coluna Brasília, por Chico Sant'Anna, do semanário Brasília Capital.

A menos que haja uma reviravolta, tudo indica que Izalci também será derrubado do poleiro. Ele que foi um dos primeiros pré-candidatos a ser lançados ao GDF, corre o risco de não ter mais onde pousar.