Grass também investe na popularidade de Lula para se tornar conhecido e crescer nas intenções de voto dos eleitores do DF. Acredita que, à medida em que a população tenha conhecimento que sua candidatura é apoiada pelo ex-presidente, as chances de conquistar os votos do presidenciável podem garantir sua chegada ao segundo turno.

Por Diva Araújo, publicado originalmente no semanário Brasília Capital

O candidato da federação PV-PT-PCdoB ao GDF, Leandro Grass, aposta que haverá segundo turno na corrida ao Palácio do Buriti e que ele estará na disputa contra o governador Ibaneis Rocha (MDB), que tenta a reeleição.

 “Nós temos trabalhado muito para isso e temos convicção de que iremos derrotar Ibaneis. Ele fez um governo desastroso, um governo da morte, do aumento da pobreza, da fila do CRAS e da saúde”, disse Grass, terça-feira (20), ao programa Brasília Capital Notícia – Eleições 2022, uma parceria do Brasília Capital com a TV Comunitária e o blog Brasília por Chico Sant’Anna, conduzido pelos jornalistas Orlando Pontes e Chico Sant’Anna.

Você pode assisitir aqui a íntegra da entrevista, realizada dia 20/09/2022

Grass se diz preparado para assumir o GDF. “Fiz um mandato de deputado distrital muito intenso. Fiscalizei e acompanhei as ações do governo, que conheço por dentro, como servidor público. Sei como funciona a máquina. Tenho formação em gestão e políticas públicas. Me coloquei nessa missão por me sentir preparado. Minha atuação no Legislativo me credencia para ser governador”.

Candidato do Lula

Grass também investe na popularidade de Lula para se tornar conhecido e crescer nas intenções de voto dos eleitores do DF. Acredita que, à medida em que a população tenha conhecimento que sua candidatura é apoiada pelo ex-presidente, as chances de conquistar os votos do presidenciável podem garantir sua chegada ao segundo turno.

“Minha candidatura não é apenas um nome. Faço parte de uma federação apoiada pelo presidente Lula”, lembra. Grass reclama que a campanha deste ano é muito curta e ainda não houve tempo suficiente para que as pessoas associassem o ex-presidente à sua candidatura.

“Mas ainda temos alguns dias para mostrar que fazemos parte de um mesmo projeto de combate à fome e à desigualdade. O que o Lula quer para o Brasil é o que nós queremos para o DF. E a gente espera que até o final da campanha a população que vota em Lula vote no 43 para governador”, diz Grass.

Programa de governo

 “Nosso programa de governo me credencia. Ele está sendo construído desde o ano passado, com contribuição de especialistas, servidores públicos, do micro e pequeno empresariado, de lideranças da sociedade civil. Com propostas dentro de um planejamento responsável e sustentável financeiramente, para fazer as mudanças necessárias”.

Grass diz ter acompanhado e fiscalizado o GDF ao longo desses três anos e nove meses na CLDF. “Foi um governo que trouxe muito prejuízo para Brasília, e a população sabe disso e vai optar pela mudança. A população viu o secretário e a cúpula da Saúde sendo presos; viu Ibaneis gastar R$ 14 milhões em luzes de natal num momento de fome e de miséria; sabe que algumas obras só existem no papel e que outras são malfeitas”.

Cita como exemplo a drenagem de Vicente Pires, que alagou com a primeira chuva deste ano. “Esse governo impôs a pobreza, colocou as pessoas na fila do CRAS. Tem denúncias gravíssimas de superfaturamento de teste rápido da covid e de leitos de UTI, problemas na contratação do hospital de campanha, de licitações malfeitas na Educação”.

E conclui: “A população do DF não suportará mais quatro anos de Ibaneis. Nós vamos colapsar. Já estamos colapsando na Saúde e na Assistência Social. A quantidade de pobres e de pessoas em extrema pobreza aumentou muito no DF. Foi onde mais aumentou no Brasil de 2019 a 2021”.