Poema de Fim de Semana: Pedra polída (Quase joia)

Flor de Jambo 2 com créditoPoema de Luiz Martins Da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

Gravo teu riso
Rupestre imagem
Tela ancestral.

Grafo teus olhos
Em céu astrológico 
De símbolos mágicos.

És minha guia
Talismã arcaico
Totem, tatuagem.

Não imaginas quantos
Sonhos poderosos
Me dão força contigo.

Coração troglodita,
Vigilante, cismo
Viver do teu abismo.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Poema de Fim de Semana: Pedra polída (Quase joia)

  1. Nailda Rocha disse:

    Mestre. Seus poemas são um deleite pra alma! Mais um para ruminar cada estrofe no silêncio. Grata pela oportunidade.

    Curtir

  2. Sandra Fayad disse:

    Quase joia é tudo o que faz a escuridão parecer com o fim, mas ser apenas um canal para a luz, para a vida e o amor descrito em versos de Luiz Martins:poeta que finaliza a semana iluminando seus leitores.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s