Por Luis Turiba. Foto de  Ibrahee Abu Mustafa / Reuters

 

Quando se bombardeia uma escola
de pássaros em primeiros passos
– estilhaços de vidros, pó de fogo,
fumaça tóxica venal e ácida nos
corpos nos olhos de quem já não tem
lágrimas nos rostos plásticos –
mata-se mata-se mata-se mata-se
famílias Cristos todos micros organismos
que possam sobreviver em espíritos
desce-se ao inferno dos infernos quando
o pequeno neto do avô esquelético é
arremessado como tijolo oco nos
escombros dos horrores sem lei
sem lógica sem chance de retorno
a bola de fogo jaz do ensino ao forno
crianças de Guernica de Picasso
entre o silêncio o silvo e o estampido
quando bombas arrasam escolas em Gaza
é cortado o cordão umbilical com o humano

Anúncios