Criada em 1998, a Paixão do Cristo Negro é o segundo maior espetáculo teatral a céu aberto do Distrito Federal e reúne centenas de atores e milhares de espectadores.

Por Rodrigo Viana

A Encenação da Paixão do Cristo Negro, em Samambaia, agora é reconhecida como evento oficial do Distrito Federal. A Lei n. 6.499 de autoria do deputado Leandro Grass (Rede-DF), sancionada no último dia 7 de fevereiro, foi fruto da demanda apresentada pelos organizadores em maio de 2019. O evento mobiliza todos os anos os artistas locais e a comunidade que se mobiliza para materializar e usufruir esse espetáculo cultural, de fé e arte.

Segundo o parlamentar, trata-se de uma atividade importante para a vida cultural e religiosa, não só de Samambaia, mas de todo o Distrito Federal “Ela envolve dezenas de jovens e tem uma mensagem social muito interessante e atual” – explicou. O projeto, que agora virou lei, atende a uma demanda da própria comunidade e do movimento cultural local. Em abril do ano passado, ele participou da 21ª encenação da Via Sacra e constatou a importância de se dar maior apoio, em especial para combater a falta de infraestrutura.

A cada ano, artistas e moradores da cidade são mobilizados para materializar a encenação.

Uma das solicitações apresentadas foi a alteração do nome. O evento constava no calendário como Via Sacra ao Vivo, o que gera confusão com outros eventos da cidade. Criada em 1998, a Paixão do Cristo Negro é o segundo maior espetáculo teatral a céu aberto do Distrito Federal e reúne centenas de atores e milhares de espectadores.

A encenação é organizada anualmente pela Paróquia Maria de Nazaré. Nela, Jesus Cristo é interpretado por um ator negro. O espetáculo se difere dos demais ao trazer para a milenar história elementos contemporâneos, como violência doméstica e feminicídio. O evento de 2019 contou com dinheiro do FAC que custeou as oficinas, figurinos, filmagem e os fogos de artifício.