Site prega violência a mulheres, aos negros e LGBT e propõe guia prático de estupro

Fac simile da página inicial do site.

Fac simile da página inicial do site.

Com base na reportagem de Renato Souza.

 

Feminicídio, homofobia, lesbofobia, ginecofobia, anti-semitismo, racismo, incitação à violência.

Essas são algumas das idéias e valores que a páginaweb “Reis do Camarote”, hospedado nos Estados Unidos, no provedor WordPress  –  conhecido mundialmente por abrigar blogs -, traz ao público leitor. Especificamente, o espaço virtual ameaça estudantes do sexo feminino da Universidade de Brasília (UnB). Em seu epíteto, a página afirma que as mulheres são objetos sexuais e devem ser tratadas como tal.

A página traz um suposto “manual de como estuprar uma estudante da UnB”. O autor da publicação ainda fala em “colocar uma estudante da UnB na mira de uma arma”.

Leia também:

O texto recheado de preconceitos e declarações racistas já tem mais de 3,4 mil visualizações. Dentre os artigos publicados, os mais recentes têm a seguinte temática:

  • Como estuprar uma mulher na UnB: O guia definitivo
  • Verão: Uma ótima época para sair dos EUA e estuprar umas vagabundas brasileiras
  • Nós não odiamos mulheres, nós as amamos, por isto estamos fazendo o que elas querem, querem ser mortas e estupradas.
  • Esfaqueando uma mulher sem usar as mãos: tortura psicológica e indução ao suicídio
  • Estupre uma lésbica, salve uma mulher do homossexualismo e da AIDS

Em um dos textos, o autor afirma:

Lembre-se que estupro tem a ver com violência. Se a vadia quiser fazer sexo consensual, está errado. Ela tem que negar. É por isto que você precisa ser violento. Em um momento sozinho, simplesmente pegue-a a força, tire a p… da roupa dela e a violente.

Um dos alvos principais das ameaças são estudantes mulheres, negras e que participem de coletivos feministas. Em outros textos, o site chega a incitar o assassinato de mulheres.

Se a mulher não é a sua propriedade submissa, se ela não está sendo domada e posta no seu devido lugar por você, homem de bem, de méritos, superior à ralé preta, favelada, cotista e marginal defendida pelos esquerdistas. É porque algo está de errado, já parou para pensar?

homofóbicoO autor também se mostra antisemita e afirma que a igualdade entre homens e mulheres tem como culpado o povo judeu.

Então a culpa pela mulher hoje estar ocupando seu espaço de homem, superior, detentor do Logos Divino, é do judeu.

Uma foto de um homem  a frente de um tabuleiro de xadrez leva a crer que seja ele o responsável pela página, mas não há certeza disso, nem o nome dele aparece.

Ele revela um ódio imenso em relação às mulheres.

O estado natural do homem branco é o trabalho, a limpeza e o progresso enquanto o estado natural da mulher é a promiscuidade, a sujeira e a degeneração.
A mulher negra é uma mulher submissa, obediente, que cozinha, cuida dos filhos e transa. Já a mulher branca é arredia, feminista, bissexual e cheia de DSTs.
homofóbico2

Fac simile de uma das ilustrações da página

O autor além de ser homofóbico, racista e pugnar pela violência contra as mulheres, tem uma estranha capacidade em misturar violência sexual e direito à moradia.

Se a invasão de propriedade privada pode ter uma “Função social” no Brasil, nós também acreditamos que o estupro pode ter. 

Com palavras de baixo calão, o autor diz estar se lixando para qualquer reação do Ministério Público Federal ofende o Ministério Público. A Polícia Federal já foi informada do conteúdo da página. A Universidade de Brasília decidiu investigar internamente a páginaweb. A Polícia Civil informou que o caso foi encaminhado à Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (DEAM) para apuração.
O autor do portal se considera imune à qualquer punição pelas idéias que propala. Chegou a postar uma mensagem às autoridades brasileiras.

Este website é hospedado nos Estados Unidos da América por um cidadão norte-americano, que há muito tempo abdicou-se de sua cidadania brasileira. Pelas leis norte-americanas e malaias, o conteúdo do website “Reis do Camarote” é plenamente legal, não devendo seus autores cumprir ou muito menos dar satisfação a demandas do governo brasileiro. Os autores deste site não reconhecem o Brasil como um Estado de Direito, visto que a chefe de estado tem um passado envolvendo terrorismo. Se a invasão de propriedade privada pode ter uma “Função social” no Brasil, nós também acreditamos que o estupro pode ter. Se os partidários da presidenta Dilma podem falar livremente em pegar em armas para instituir um golpe de estado, nós também podemos defender o estupro.
Que DEUS abençoe os Estados Unidos da América:

 

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Blog & Blogueiros, Brasília - DF, Circula na Internet, Desigualdade Social, Deu na imprensa, Direitos Humanos, Direitos sociais, Discriminação, Discriminação, Estados Unidos da América, Homofobia, LGBT, Ministério Público, Minorias sociais, Polícia Civil, Racismo, Redes Sociais, Redes Sociais, Sociedade, Violência & Segurança Pública, Xenofobia, Xenofobia. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s