.
engarrafamentos em BrasíliaPor Gustavo Dourado (escrito em 21 de abril de 2009)

Vamos preservar Brasília:
Parar de especular…
B$B Imobiliária:
Sem horizonte no ar… 
Um Cerrado que se foi:
Haja ap para alugar…

JK geme no túmulo:
Na Brasília Capital…
O crime faz escola:
No Distrito Federal:
O povo vive na esmola:
Passa fome cultural…

Lúcio Costa nos deu asas:
Para Brasília avoar…
As asas foram cortadas:
Tanto carro a trafegar…
Cidade fora dos Eixos:
Só tesoura a nos cortar…

Niemeyer nos subterrâneos:
Pelos túneis da cidade…
Falta estacionamento:
Sobra criminalidade…
Urbi automobilística:
Perdeu a mobilidade…

Para que tanto edifício?!:
Pra tudo dificultar…
Tem carro pra todo lado:
Já não dá pra pedalar…
Morrem flores, nascentes:
Com a poluição do ar…

O luxo que gera o lixo:
Morte na Estrutural…
O verde some do mapa:
Sem Eixo Monumental…
O tronco parali$ado:
E a cabeça maquinal…

Filas duplas, buzinaço:
A morte do urbanismo…
Desemprego, amargura:
O velho clientelismo…
Corrupção lá nas nuvens:
Prolifera-se o cini$mo…

Haja tapinha nas costas:
Nhem nhem nhem, blablabá…
Foi-se embora a siriema:
Adeus ao lobo guará:
As cobras se multiplicam:
Nas margens do Paranoá…

Anúncios