O departamento jurídico do Psol Nacional está abarrotado de serviço. O partido decidiu processar todos aqueles que difundiram fake news nas redes sociais associando Jean Wyllys ao esfaqueamento do presidente Jair Bolsonaro, no ano passado, em Juiz de Fora. Diversas mensagens nesse sentido foram publicadas nas redes sociais, após a decisão do parlamentar eleito deixar o pais e abandonar o mandato eletivo para se auto exilar na Europa. Jean Wyllys e familiares vinham recebendo ameaças de agressão e até morte.
O Psol já recebeu mais de 4 mil denúncias de fake news, consideradas ofensas e crimes contra a honra do parlamentar. São postagens, vídeos, comentários compartilhados em redes sociais e também conteúdos publicados em blogs e vlogs. Tudo está sendo classificado como calunia, injuria e difamação.

Nas denuncias enviadas ao partido pelo endereço eletrônico denuncia.lidpsol@gmail.com tem muita gente de Brasília, inclusive blogueiros que não verificam a veracidade das informações e saem republicando e compartilhando o que ouviram dizer. A iniciativa do Psol pode fazer doer o bolso, por isso, responsabilidade nas redes sociais é a palavra de ordem.